30 junho 2011

As 10 capas mais belas divulgadas em Junho

Divulgada esta semana, a "Vanity Fair" surpreendeu na originalidade do conceito e fotografia, trazendo Emma Stone na capa
Beyoncé sensualiza e a "Dazed & Confused" entrega todo o destaque da capa  à diva e seu sorvete
Assediado excessivamente pela mídia, Neymar ganha a capa da espanhola  "DonBalon"
"Marie Clare" foge do tradicional, se diferencia e abusa nas fontes com a gloriosa (E LINDA!), Jennifer Aniston
A fantástica fotografia da comemoração do Barcelona deixou a capa da "Newsweek" simplesmente genial. Vale ressaltar que a publicação semanal, é na minha opinião, uma das revistas mais bem diagramadas da atualidade
A "New Yorker" foi  super criativa e cativou a todos com esses dois bebês fofos em sua edição 
Presença garantida frequentemente em nosso "TOP 10", a "Esquire" prova mais uma vez que sabe muito bem usar e abusar de informações e espaços
Simples e chamativa, a "Interview" conseguiu fazer uma das capas mais bonitas do mês
Digamos que talvez a "Billboard" ainda não saiba fazer tão bem a "chuva de informações" como a "Esquire", mas conseguiu dar um destaque surpreendente para Jill Scott em sua capa
E fazendo dobradinha no nosso ranking, a "Esquire" traz na minha opinião, a melhor, e mais divertida capa divulgada este mês. Sensacional!

25 junho 2011

Record se descuida e anuncia programa da Globo em rede social

A emissora dos bispos se descuidou e anunciou o programa da concorrente em seu Twitter
No meio televisivo existe um “ditado” clássico que afirma: “nada se cria, tudo se copia”. Porém, de uns tempos para cá a Rede Record resolveu levar esta máxima realmente a sério, partindo para uma estratégia de marketing de sucesso, mas que nem sempre é bem vista, podendo ser mal usada com alguns descuidos.
Desde 2004 a Record vem investindo pesado em sua programação e viu sua audiência dobrar em alguns horários, passando a ser o segundo maior canal de TV do país. Porém, quando se trata de programação, os meios usados para o crescimento do canal e da audiência de suas atrações são evidentes. A emissora passou a produzir novelas ao estilo da principal concorrente contratando autores, atores e diretores da Rede Globo. Os jornalísticos da casa também ganharam alguns nomes de peso (grande parte deles, ex-globais), mas a surpresa fica por conta do perfil e da identidade visual dos produtos que a Rede Record passou a apresentar, que levam o telespectador a confundir em que canal está sintonizado. O Jornal da Record, principal telejornal da emissora da Barra Funda, ganhou uma interface praticamente idêntica ao Jornal Nacional. Logo, GC, cenário... Tudo remete ao “JN”. Já cheguei a ouvir pessoas garantirem estar assistindo ao jornalístico da Globo, enquanto sintonizados na concorrente.


As demais atrações apenas comprovam a técnica de “copiar e colar”, confundindo a audiência e levando a própria emissora a contradição. Na manhã deste sábado (25/06), a Rede Record anunciou em seu Twitter uma entrevista com os jogadores Marcelinho Carioca e Vampeta no “Esporte Espetacular”, uma vez que o nome do programa que exibiria a entrevista é “Esporte Fantástico”. A primeira atração citada, como todos sabem, pertence a Rede Globo. Já a da Record, parece mais uma mistura do matutino dominical esportivo da emissora carioca, com a revista eletrônica “Fantástico”, há quase 40 anos  na grade global. A mesma mistura aparece no concorrente direto em conteúdo e horário do “Fantástico”, o jornalístico “Domingo Espetacular”.
Buscar aproximar-se daquilo é sucesso, usando e abusando das características alheias pode até ser uma técnica eficaz. Porém, o mais importante é o diferencial, o respeito ao público e a qualidade de um produto. Méritos próprios proporcionariam muito mais admiração e importância não só a Rede Record, mas a qualquer outra emissora, podendo evitar alguns erros crassos, como o acontecido no Twitter. Mais uma vez a questão mais presente no mundo televisivo aparece: Será que realmente vale tudo pela audiência?

20 junho 2011

Fotografia em um piscar de olhos...


O trabalho do fotógrafo Ryan Taylor, nos mostra como perdemos cenas bonitas, por acontecerem tão rápido. Sensacional!
via

11 junho 2011

"Eduardo e Mônica" vai além do dia dos Namorados

Nunca imaginaram que a história de amor de Eduardo e Mônica pudesse fazer tanto sucesso, mesmo após 25 anos de seu lançamento. A música cantada por Renato Russo tomou conta da Web nesta semana, graças a uma campanha da Vivo, reproduzindo em um filme de 4 minutos contando a história de amor de um dos casais mais famosos do mundo da música. O vídeo criado pela Africa encantou a todos e foi visto por mais de 3 milhões de vezes no YouTube em menos de uma semana, e ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. A campanha também virou polêmica, pelo fato de em 2002, agência Salles D’Arcy, (que hoje não existe mais), também ter gravado um filme de pouco mais de 1 minuto contado a história de Eduardo e Mônica para promover uma marca de celulares. A campanha da Vivo foi então acusada de plágio.
Acusações a parte, não ficam dúvidas que independente de qualquer coisa a Vivo se saiu bem e foi ousada, criando uma campanha objetiva e de alto nível. Altíssimo nível. O comercial só promove o nome da marca em seus minutos finais, mas é evidente que a empresa estará ligada a qualquer comentário relacionado ao vídeo, que consegue mexer com o público de forma incrível. “Eduardo e Mônica – O filme”, embala, emociona, encanta e contagia. Reforça o lado institucional da Vivo passando uma boa imagem da empresa, relacionando-a com situações especiais.
 O objetivo do filme é mais que viralizar neste poderoso meio chamado internet, é aproximar público e marca, marca e público. Muito mais do que homenagear o Dia dos Namorados, a marca de celulares quer reforçar claramente o relacionamento com o consumidor. Acima, você pode conferir essa belíssima história de amor:

06 junho 2011

Movimentos encantadores

GIF's são marcados por sua criatividade, interatividade e até mesmo diversão. Se uma imagem por si, já chama atenção. Um efeito que a dê movimento, cai ainda mais nas graças de qualquer um! Sendo criativa e fazendo um trabalho inovador, a fotógrafa Jamie Beck criou um estilo de fotografia editorial usando GIF como suporte, fazendo com apenas um detalhe da imagem se movimente. O resultado ficou leve e ganhou contraste ao mesmo tempo. Confira mais exemplos geniais, abaixo: